//Inglês (The Brazil Museum Fire: What Was Lost)

Inglês (The Brazil Museum Fire: What Was Lost)

Olá!

Seguindo o novo método de estudo de inglês para concursos (proposto aqui em nossa página), adiante, temos um texto em inglês para treinamento de leitura e tradução.

O texto fala sobre o incêndio no Museu Nacional do Brasil. Parece ser um texto de difícil compreensão, mas como o assunto foi amplamente debatido na internet e jornais de TV, fica simples compreendê-lo.

 DICA: Treine leitura e tradução com textos de assuntos que você conhece. Assim fica mais simples compreender a mensagem.

Sugestão:

(1) tente ler o texto e fazer a tradução. A tradução pode ser feita num caderno, gravação no celular, digitado no computador, etc.

(2) compare sua tradução com a tradução livre.

(3) anote as palavras que não conseguiu entender/traduzir.

Prof. Adinoél

[Você pode baixar o arquivo em PDF ao final deste artigo.]


TEXTO

The Brazil Museum Fire: What Was Lost

David Reich, a geneticist at Harvard Medical School, said he had struggled to think of an appropriate way to understand the destruction of Brazil’s National Museum by fire.

“It’s as if the Metropolitan Museum of Art burned down,” he said.

He was responding to a question about Luzia, one of the oldest examples of human remains in the Americas. It may have been lost in the fire on Sunday night, and it was certainly damaged.

As valuable as that specimen was to those who study the peopling of the Americas, it was almost trivial in comparison to the vast scope of the museum, which was a cultural and scientific treasure. Science museums are not only displays of what we have learned, but also chances to learn so much more from studying the specimens stored there.

The Luzia fossil, for instance, is the skull of a woman who lived 11,500 years ago in Brazil. It is valuable to science not just because it is rare and has already told us much about who lived in the Americas, but also because of how much more it could say.

Fonte: https://www.nytimes.com/2018/09/04/science/brazil-museum-fire.html (adaptado)


TRADUÇÃO LIVRE

The Brazil Museum Fire: What Was Lost

[O/A Brasil Museu Fogo: Que/Qual/O que foi/estava perdido]

O fogo no museu do Brasil: o que foi perdido

 

David Reich, a geneticist at Harvard Medical School, said he had struggled to think of an appropriate way to understand the destruction of Brazil’s National Museum by fire.

[David Reich], um/uma geneticista a/em/para Harvard Medical School, disse ele tinha lutado/esforçado para pensar de um apropriado caminho para entender o/a destruição de Brasil Nacional Museu para/por fogo].

David Reich, um geneticista de Harvard Medical School, disse que ele tinha se esforçado para pensar em uma maneira para entender a destruição do Museu Nacional do Brasil pelo fogo.

  Não precisamos traduzir os nomes próprios para entender o texto. Aqui traduzimos o nome do Museu Nacional do Brasil porque é assim que o conhecemos.

 

“It’s as if the Metropolitan Museum of Art burned down,” he said.

[Ele/ela é como/tão se o Metropolitan Museum of Art queimado abaixo/para baixo, ele disse]

“Ele (Museu Nacional do Brasil) é como se fosse o Metropolitan Museu de Art incendiado”, ele disse.

 

He was responding to a question about Luzia, one of the oldest examples of human remains in the Americas. It may have been lost in the fire on Sunday night, and it was certainly damaged.

[Ele estava respondendo por/para um/uma questão/pergunta sobre Luzia, um de o mais velho exemplos de humano restos em a Américas. Ele/ela poder ter sido perdido em o fogo sobre domingo noite, e ele/ela foi/estava certamente danificado/prejudicado. Mas seu/sua reação foi/estava o/a grau/nível/extensão de o perda, não o espécime/amostra mesmo/próprio.]

Ele estava respondendo uma pergunta sobre Luzia, um dos exemplos mais antigos dos restos humanos nas Américas. Ela pode ter sido perdida no incêndio de domingo à noite, e ela foi certamente danificada.

 

As valuable as that specimen was to those who study the peopling of the Americas, it was almost trivial in comparison to the vast scope of the museum, which was a cultural and scientific treasure. Science museums are not only displays of what we have learned, but also chances to learn so much more from studying the specimens stored there.

[Como/tão valioso como/tão que espécime/amostra era/estava por/para aquele quem estudo o/a povoar de o/a Américas, ele/ela quase trivial em comparação por/para o/a vasto escopo/âmbito de o/a museu que/o que/o qual era/estava um/uma cultural e científico tesouro. Ciência museus são não somente mostra/exibição/exposição de que/o que/qual nós ter aprendido, mas também possibilidade/ocorrer por/para aprender tanto/muito mais de estudando o/a espécimes/amostras armazenada/guardada lá/além/ali.]

Tão valioso quanto essa amostra era para aqueles que estudam o povoamento das Américas, era quase trivial a comparação com o vasto âmbito do museu, que era um tesouro cultural e científico. Os museus de ciências não são somente lugares nos quais temos aprendido, mas também temos oportunidades de aprender muito mais dos estudos das amostras ali guardadas.

 

The Luzia fossil, for instance, is the skull of a woman who lived 11,500 years ago in Brazil. It is valuable to science not just because it is rare and has already told us much about who lived in the Americas, but also because of how much more it could say.

[O/a Luzia fóssil, por/para exemplo, é o/a crânio de um/uma mulher que/quem viveu 11.500 anos atrás em Brasil. Ele/ela é valioso por/para ciência não somente porque ele/ela é raro e tem já falou/falado nos muito sobre que/quem viveu em a/o Americas, mas também porque de como muito mais ele/ela poderia dizer.]

O fóssil de Luzia, é o crânio de uma mulher que viveu 11.500 anos atrás no Brasil. Ele é valioso para a ciência não somente porque ele é raro e já nos falou muito sobre quem viveu nas Américas, mas também porque quanto mais ele poderia nos dizer.

Baixar em PDF